6 dicas importantes na distribuição de lucros aos sócios

Posted by Luiz Paulo Castro on 05/09/2019 15:29:59
Luiz Paulo Castro
Find me on:

1114

 

Está cansado de sofrer com dores de cabeça todas as vezes que for realizar a distribuição de lucros aos sócios na sua empresa. Aprenda de uma vez por todas com estas dicas como fazer uma distribuição de lucros de maneira eficiente na sua empresa, atente-se ao seu capital de giro, o seu contrato social e muito mais para solucionar todos esses problemas.

 

Uma das maiores dificuldades realizadas nas empresas a quais sócios fazem parte é a distribuição de lucros aos mesmos. Atentar-se para fazer de maneira adequada e que não prejudique as finanças dos seu negócio é fundamental para que a empresa cresça. Mas, antes vamos entender primeiro o que é a distribuição dos lucros.

 

O que você irá ver neste artigo:

  • O que é lucro?
  • O que é distribuição de lucros?
  • Diferença entre pró-labore e a distribuição de lucros
  • Analise o contrato social
  • Cuide do capital de giro
  • Planeje investimentos
  • Programar a distribuição de lucros
  • Distribuição de lucros com os colaboradores

 

O que é o lucro?

 

O lucro é o saldo positivo ao final do ano de exercício da empresa. É o resultado da diferença entre receitas, custos e despesas ao longo do ano. Sendo assim, apenas com o resultado positivo, lucro, é possível distribuí-los.

 

O que é distribuição de lucros?

 

A distribuição de lucros é a retirada de uma quantia em espécie aplicada pelos investidores naquela entidade em um determinado período. Espera-se que após realizada essa aplicação o ganho seja superior ao valor inicial aplicado.

 

Separamos para você dicas valiosas na hora da retirada desse lucro pelos sócios e, também, como não prejudicar a saúde financeira do seu negócio e do seu bolso.


Diferença entre pró-labore e a distribuição de lucros

 

Existem duas maneiras de retirada de lucros que podem ser realizadas pelos sócios são a retirada do pró-labore e a distribuição de lucros aos sócios.

 

A primeira delas, o pró-labore é referente a remuneração que o sócio/administrador tem direito pelo trabalho exercido. Mesmo não tendo valor definido para a retirada, a recomendação é que o valor não seja inferior que o salário mínimo vigente e que seja compatível com o mercado. Ou seja, se o mercado assegura um cálculo base para retirada ela não deverá ser inferior.

 

A distribuição de lucros, é a forma como sócios retiram suas partes no lucro que foram investidos, de acordo com a sua participação no capital social, mesmo que não trabalhem diretamente na empresa, uma questão que deve ser frisada é que só será possível distribuir se a empresa obter lucro no final do ano de exercício.

 

Está com dúvidas? Vamos te ajudar a solucionar os seus problemas! 👇

CTA NOVA

 

O que não acontece, por exemplo, com o pró-labore que é considerado como despesas e pode ser retirada mesmo que a empresa apresente prejuízo.

 

Diferente do pró-labore, a distribuição de lucros é isenta de imposto de renda e de contribuição previdenciária.

 

Analise o contrato social

 

Antes de se distribuir os lucros é preciso consultar o contrato social. O contrato social é aquele que foi firmado entre ambas as partes interessadas no investimento aplicado, esse contrato é firmado em Cartório de Registro de Pessoa Jurídica

 

Nele será definido, por exemplo, a quantia que cada sócio irá receber. Se um sócio A tiver cotas de 40% e sócio B tiver cotas de 60%, logo, o sócio B poderá retirar uma maior quantidade de lucro, porque o seu investimento foi superior do que o outro.

 

Outra coisa que pode estar incluída no contrato social é a distribuição desproporcional, neste caso, um sócio irá receber uma quantia maior do que o outro sócio, mesmo que, a cota de capital deles sejam iguais.

 

É importante observar se existe alguma cláusula específica sobre isso no contrato social. Se não tiver, a divisão deverá seguir conforme a proporção das cotas.

 

Cuide do capital de giro

 

O capital de giro é um pouco do investimento destinado a reserva para os recursos que poderão ser utilizados com a finalidade em suprir as necessidades financeiras que sua empresa precisa ter ao longo do tempo.

 

O capital de giro é fundamental para uma adequada distribuição de lucros aos sócios na sua organização. Como o próprio nome diz “giro” é que faz a sua empresa girar e gerar lucros.

 

Talvez a mais importante dica, o lucro líquido é capaz de gerar um aumento do capital de giro, então, a distribuição de lucros precisa se atentar para os valores necessários na manutenção das suas operações.

 

Essa distribuição não pode afetar a capacidade de funcionamento da empresa. Caso isso ocorra a perda no controle das finanças empresariais será assertiva.

 

Planeje investimentos

 

Toda empresa necessita de investimentos, isso é fato, seja com a finalidade de modernizar seu negócio, objetivo de crescimento ou reconhecimento no mercado sobre o que você faz.

 

Para que isso possa acontecer é muito importante definir um planejamento de investimentos, assim como um planejamento estratégico o planejamento de investimentos deverá ser mais que uma obrigação na sua empresa.

 

distribuição de lucros aos sócios

 

Saber onde investir e como investir para que sua empresa cresça e chave para o sucesso, o interessante aqui é não fugir do ramo em que sua empresa atua, se houver oportunidades de investimentos na área da sua empresa, invista! Mas, caso contrário, invista com cautela!

 

Seja para aquisição de equipamentos ou tecnologia, contratação de novos funcionários e aportes de marketing. O planejamento é indispensável para que a empresa saiba quanto e quais recursos serão destinados para esses investimentos, além disso, o lucro líquido deve suportar os investimentos evitando dívidas e outros problemas financeiros.

 

De nada adianta realizar investimentos e depois se posicionar em um montante de dívidas. Saiba onde está pisando e se você tem capacidade de se manter nessa posição.

 

Programar a distribuição de lucros

 

A distribuição de lucros podem ser feitas anualmente, trimestralmente ou mensalmente. Essa periodicidade deverá estar contida no contrato social.

 

Contato firmado por ambas as partes interessadas no investimento e no ato de resgatar os lucros.

 

Se por ventura, não tiver descrito no contrato social alguma referência a essa periodicidade, ela só deverá ser feita no fim do balanço anual e se o saldo for positivo, ou seja, se obtiver lucro.

 

Então, de maneira mais estratégica ao firmar o contrato para distribuição dos lucros aos sócios tenha claro em mente que deseja acrescentar isso junto ao seu contrato para que possa ser realizada a retirada a uma destas quaisquer respectivas datas.

 

Distribuição de lucros com os colaboradores

 

Não existe nenhuma obrigatoriedade de incluir os colaboradores na distribuição de lucros. Apesar disso, a Lei nº 10.101/2000 regula a participação dos colaboradores como forma de incentivo à produtividade.

 

Então, se a empresa deseja distribuir uma porcentagem aos seus colaboradores, é preciso definir um programa que contemple as equipes antes mesmo de distribuir os lucros entre os sócios.

 

Ou seja, garantir um planejamento direcionado para orientar-se como será realizado a distribuição. Planeje-se, coloque no papel quantas colaboradores da sua empresa participarão na distribuição dos lucros, quanto em espécie cada um deles receberá. Mas, nunca se esqueça de que tem os sócios, os parceiros e até mesmo você!

 

Bônus: tenha cuidado com a Receita. É importante não deixar a Receita e o INSS confundir uma retirada antecipada de lucros como pró-labore. Isso pode ocorrer com retiradas mensais com valores iguais. A receita pode entender que está sendo retirada um pró-labore disfarçado de distribuição de lucros, para que o sócio não tenha que pagar os valores referente ao INSS e IRPF.

 

Você ainda está com dúvidas sobre retirada de lucro pelos sócios?
Mande sua dúvida para nós! 

 

Gostou deste post? 

Veja esse: Banco Tradicional x Digital: qual é a melhor escolha para sua empresa?

 

Abraço do time Marbo Contábil! 💛

Topics: contabilidade

Assine agora