• O Simples Nacional é o melhor regime de tributação?
  • Quais condições devem ser analisadas antes de optar pelo Simples Nacional?
  • Quando devo trocar de regime tributário?

No momento em que se vai abrir uma empresa, é preciso analisar vários aspectos. Qualquer pessoa que pretende empreender, principalmente pela primeira vez, enfrenta uma série de questionamentos que envolvem o pagamento de impostos, há dúvidas principalmente sobre os regimes de tributação existentes e qual deles irá se adequar a realidade da empresa. 

Na maioria das vezes, é extremamente normal que toda pessoa que pretende empreender pense e opte logo pelo Simples Nacional. Isso acontece porque os benefícios e condições nesse regime tributário são mais atrativos do que os demais, mas é importante frisar que dependendo da atividade econômica exercida ou faturamento, optar por esse tipo de tributação sem análise não será uma boa opção.

Para não haver dúvida em relação a esse assunto tão importante, falaremos mais sobre neste blog. 

O Simples Nacional é o melhor regime de tributação?

Se formos analisar os demais regimes de tributação, é notável que o Simples Nacional comparado aos demais existentes se torna mais atrativo. Com um sistema de arrecadação único, os optantes por esse regime contam com uma guia única para pagamento de tributos, onde estão reunidos todos os impostos, tais como: IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, IPI, ICMS, ISS, entre outros.

Mesmo com todos os benefícios e boas condições do Simples Nacional, existem alguns pontos que devem ser levados em consideração.  O Simples Nacional nem sempre é a melhor opção tributária e nem deve ser encarado como única solução para pequenos negócios. Portanto, é preciso atentar-se a algumas questões sobre seu negócio antes de definir pelo Simples Nacional.

Além disso, nem todas as empresas podem optar pelo Simples Nacional, em razão de sua natureza jurídica ou atividade exercida pela empresa. Apesar de ser o principal fator analisado, o faturamento não é o único que determina se uma empresa pode ou não optar pelo Simples Nacional, a Lei Complementar nº 123 de 2006 diz respeito aos requisitos exigidos, clique para saber mais sobre quem pode optar por esse regime tributário.

Simples Nacional: Entenda tudo na hora de optar por esse regime! 

Quais condições devem ser analisadas antes de optar pelo Simples Nacional?

Sabemos que para poder optar pelo Simples Nacional, o requisito básico e principal é a empresa ser de pequeno porte e/ou uma microempresa. Isso significa que a natureza jurídica e receita bruta anual da empresa são levadas em consideração, de acordo com o que está descrito na legislação. Por esses e outros fatores, é muito importante se atentar e analisar cada caso antes de optar por esse regime tributário para não sair no prejuízo.

As principais condições a serem analisadas são: ramo de atividade, lucratividade da empresa em relação ao faturamento, análise das alíquotas, entre outros. Nessa parte, não foque apenas na análise de um imposto. Lembre-se de que determinada opção pode proporcionar um valor menor de IR e de Contribuição Social, mas referente ao PIS e à Cofins pode ser maior. Por isso, considere o contexto geral na hora da escolha. 

É preciso lembrar que o valor pago no Simples Nacional não é sempre igual para todos, pois vai depender tanto da área em que as empresas atuam quanto do faturamento obtido. Por isso, é importante saber em qual categoria seu negócio se encaixa. Antes de optar por esse regime de tributação, é importante ter um planejamento tributário de acordo com a sua forma de cálculo e realizar análise dos três regimes tributários disponíveis para encontrar a melhor opção para a sua empresa.

Veja nosso conteúdo sobre: “Exclusão do Simples Nacional: Entenda o que acontece.”

Quando devo trocar de regime tributário?

A alteração do regime de tributação é uma migração que a empresa pode fazer entre os sistemas de pagamentos  de impostos existentes na legislação brasileira. É muito importante saber que um enquadramento feito de forma equivocada poderá gerar prejuízos e nada poderá ser feito durante o ano fiscal. Ao longo de todo o ano, os empresários juntamente com a ajuda de seu contador, precisam analisar o faturamento da empresa e se atentar às alterações que foram ou vão ser feitas.

Se você é empresário e está cadastrado no Simples Nacional ou em qualquer outro regime de tributação, porém seu cenário de faturamento atual ou projetado foi modificado, é importante ficar atento. Quando esses fatores mencionados e outros demais não são levados em consideração, a alteração desse regime de tributação não acontece de forma voluntária, e sim por exclusão. Por esse motivo, os profissionais especializados realizam cálculos e consideram vários aspectos para definir o regime mais vantajoso.

É importante analisar todos os impostos dos três regimes tributários disponíveis para  encontrar a melhor opção para sua empresa. Existem várias razões que justificam uma alteração de regime de tributação, mas a principal delas é a busca pela redução da carga tributária. A alteração de regime de tributação é feita por um contador, que fica responsável por cancelar a opção pelo regime atual e aderir ao novo, a mudança só poderá ser feita no início de cada ano fiscal.

Caso tenha alguma dúvida referente ao assunto, nos envie uma mensagem por esse link. Nossos consultores estarão prontos para atender você e tirar todas as suas dúvidas!

Veja nosso conteúdo sobre: “Foi excluído do Simples Nacional? Saiba o que fazer!”

Equipe Marbo Contábil. 🧡