A administração de uma empresa não é uma tarefa fácil, todo gestor sabe que as tomadas de decisões, bem como a administração financeira são as principais tarefas que demandam mais tempo e energia. As informações sobre o negócio são imprescindíveis para manter alinhado às expectativas e necessidades como um todo. 

Sabendo disso, para que isso seja possível é necessário contar com a ajuda de demonstrativos e relatórios como o balanço patrimonial e DRE, esses têm mostrado cada vez mais sua importância no dia a dia dos empreendimentos. O balanço patrimonial, bem como a DRE trazem diversos benefícios para os negócios, e por isso, neste blog iremos falar mais sobre. Veja a seguir:

O que é Balanço Patrimonial e DRE?

O balanço patrimonial é considerado uma das demonstrações contábeis mais importantes fornecidas a administração de uma empresa. Ele permite o levantamento preciso de ativos e passivos e conseguimos obter várias análises financeiras verificando situações distintas que ajudam no diagnóstico da saúde financeira do negócio.

Além disso, é possível disponibilizar indicadores como: liquidez corrente; liquidez seca; margem líquida; retorno sobre ativo; retorno sobre investimento, entre outros.  Dessa forma, todos os todos os registros de natureza contábil, sejam de crédito, sejam eles de débito,  constam no livro razão de uma organização através do balanço patrimonial.

Já o DRE também apresenta dados das receitas e das despesas, mostrando o resultado líquido e seu desempenho. Constitui de um dos relatórios mais importantes dentro de uma empresa, pois reflete a capacidade do negócio, permitindo que a administração veja a situação em que se encontra, bem como extrair elementos para saber o que precisa mudar ou o que pode ser melhorado.

A DRE é confeccionada junto com o balanço patrimonial, mas costuma ser um demonstrativo bastante simples de compreender. Esse relatório confronta os dados das receitas e das despesas do negócio, e pela lei, é obrigatório para todas as empresas, exceto o MEI, e deve ser feito anualmente. É importante ressaltar que ambos os documentos citados devem ser assinados por um contador habilitado pelo CRC (Conselho regional de contabilidade).

Não deixe de acessar: 5 dicas para reduzir impostos da sua empresa de forma legal.

Qual é a importância do Balanço Patrimonial e DRE?

O balanço patrimonial, bem como o DRE são indispensáveis para a gestão contábil e financeira de uma empresa. Como vimos, ambos tipos de relatórios gerenciais financeiros têm similaridades entre si, mas possuem suas características próprias. Depois que você descobre o que são e a importância desses relatórios, compreende o quanto eles impactam o planejamento financeiro da sua empresa.

Portanto, o balanço patrimonial, é considerado um dos controles mais importantes pela contabilidade, uma vez que permite uma completa visualização e análise da situação financeira da empresa. Já a importância do DRE está em confrontar os dados das receitas e das despesas do negócio, mostrando o resultado líquido do seu desempenho e detalhando a real situação operacional de um negócio.

A legislação prevê que toda pessoa jurídica registrada no Brasil deve fazer a entrega do balanço patrimonial e DRE ao final de cada exercício social, sempre após o encerramento do ano calendário. Ocorrem exceções de obrigatoriedade apenas as empresas registradas como MEI (Microempreendedor individual). 

Como aplicá-los em seu negócio?

Se você deseja que a sua empresa cresça e prospere com segurança, já entendeu que é necessário contar com o auxílio dos relatórios financeiros mencionados neste blog. Agora, é preciso compreender como fazê-los e como aplicá-los em seu negócio, bem como de que forma são utilizados, pois como você já sabe, ambos são essenciais para a saúde financeira e administrativa do seu negócio.

O balanço patrimonial é uma das obrigações da contabilidade, mas só é possível preenchê-lo se o gestor tiver um bom controle do fluxo financeiro da empresa, por isso costuma ser produzido por um contador de confiança. Na DRE, você também precisa de um contador, segundo a lei 6.404/1976, o documento deve ser assinado por um contador credenciado ao Conselho Federal de Contabilidade

Veja também esse conteúdo que preparamos: Mudança de CFOP: Entenda o que muda após alteração do prazo.

Caso tenha alguma dúvida referente ao assunto, nos envie uma mensagem por esse link. Nossos consultores estarão prontos para atender você e tirar todas as suas dúvidas!

Equipe Marbo. 🧡